Sr. Will

 

Como as relações humanas se modificam e se intensificam em um cotidiano permeado de sons, máquinas, (pre) conceitos, desejos…?

Como buscar um autoconhecimento e uma vida mais plena em meio a contemporaneidade? Longe de ignorar a hiper realidade que vivemos e os mecanismos de controle sociais que ditam regras e nos condicionam diariamente, buscamos – através do corpo- uma nova síntese da vida, nele, no corpo: um lugar de infinitas possibilidades de descobertas reais!

No palco, no presente, neste tempo, podemos observar como o corpo sensível pode estabelecer relações humanas mais intensas.

Os corpos e os encontros dos corpos são tomados por uma mistura de afetos: eróticos, sentimentais, estéticos, perceptivos e cognitivos.

É nessa mistura de sensações e sentidos que percebemos o poder da natureza e buscamos a pureza original do ser humano, por isso muitas cenas são instigadas pelo desejo! Dar voz ao desejo, deixar se levar por ele, sem amarras ou preconceitos, experimentar o que é dito proibido! Sentir gostos, sentir cheiros, sentir toques. Tocar e se assustar com o diferente! Esvaziar-se, libertar-se de tudo que faz mal, de tudo que reprime. Vomitar o que é indigesto, livrar-se dos recalques.e por fim lavar-se de tudo! Alcançar um estado de plenitude e êxtase! Algo sagrado, simples e original! O encontro com o mais profundo do nosso ser original é o que mais importa!

Ano de Estreia: 2017

Duração: 60 minutos

Coreografia: Joisy Amorim

Dramaturgia: Antonio Gómez Casas

Trilha Inédita: Cleyber Ribeiro

Ensaiadora: Erica Bearlz

Preparação Cênica: Vanderlei Roncato

Figurino: Amanda Marques

Fotografia: Layza Vasconcelos

Produção Musical: Cleyber Ribeiro

Iluminação: Sergio Galvão